As causas das veias varicosas da pequena pelve

As varizes pélvicas são uma patologia grave que resulta do fluxo reverso do sangue. Freqüentemente, a doença se desenvolve como resultado da compressão vascular. A gravidez pode ser um fator provocador, uma vez que essa condição é acompanhada por uma alteração significativa no equilíbrio dos hormônios no organismo. Este tipo de veias varicosas costuma ser acompanhado por fortes dores na região inferior do abdômen.

Razões

causas do desenvolvimento de veias varicosas da pelve pequena

Existem muitas causas para as varizes pélvicas nas mulheres. Normalmente, a doença se desenvolve sob a influência de vários fatores.

Os principais incluem o seguinte:

  1. Alteração no equilíbrio dos hormônios no corpo. Essa condição pode afetar negativamente a saúde vascular. Assim, a progesterona tem um efeito relaxante pronunciado na musculatura lisa, o que provoca uma diminuição do tônus ​​venoso. Como resultado, os vasos tornam-se mais elásticos, suas válvulas são deformadas e as paredes ficam mais finas. Isso provoca congestão venosa. Essa condição também pode afetar a região pélvica.
  2. Inflamações e patologias neoplásicas dos órgãos reprodutivos. Nesse caso, a terapia deve ter como objetivo eliminar a patologia principal. Com infecções ou cânceres, a circulação sanguínea é seriamente prejudicada. Essas mudanças afetam não apenas a região pélvica, mas todo o corpo. Isso se deve ao ingresso de substâncias tóxicas, mediadores inflamatórios e outros elementos na circulação sistêmica.
  3. Atividade física difícil. Esse fator freqüentemente causa danos ao sistema musculoesquelético e leva ao desenvolvimento de doenças vasculares. Em tal situação, a circulação sanguínea é significativamente prejudicada, o que leva a uma nutrição insuficiente das veias. Eles se esticam demais e perdem sua função.
  4. Anomalias congênitas na estrutura dos vasos sanguíneos e tendência genética para veias varicosas. A violação da estrutura das válvulas ou paredes provoca deformação rápida dos vasos sanguíneos, o que acarreta problemas no seu funcionamento.
  5. Estilo de vida insuficientemente ativo. Se não houver carga adequada, as veias perdem tônus ​​e elasticidade. Como resultado, eles se tornam mais flácidos e não conseguem manter a circulação normal.
  6. Gravidez. Em cerca de 70% dos casos, as varizes pélvicas são diagnosticadas em mulheres grávidas. Isso se deve a uma combinação de vários fatores ao mesmo tempo. Isso inclui uma mudança no equilíbrio dos hormônios, estresse grave como resultado do aumento do peso corporal, transformação do sistema circulatório devido à formação da placenta.

Sob a influência de um ou vários fatores, as veias varicosas da pelve pequena se desenvolvem. Os processos anormais estão geralmente localizados na vagina, ovários e útero.

O grupo de risco inclui pessoas com tendência a inflamações frequentes dos órgãos pélvicos. Freqüentemente, a doença se desenvolve no contexto de formações tumorais, cistos ou endometriose. Além disso, o risco de aparecimento da doença aumenta em mulheres com altos níveis de estrogênio no sangue.

Classificação

Existem duas formas principais de patologia:

  • Expansão das veias da vulva - em situações difíceis afeta a parte interna da coxa e a região perineal;
  • Congestão venosa.

Normalmente, os dois tipos de doença estão presentes ao mesmo tempo, mas os sintomas de um deles são mais graves. Essa condição se assemelha a um círculo vicioso: as veias vulvares aumentadas causam problemas de drenagem venosa na pelve e a dilatação dos plexos pélvicos provoca o aumento das veias vulvares.

manifestações de veias varicosas da pequena pelve

Além disso, essa doença geralmente desaparece sozinha após o parto.

Apenas 2 a 10% das mulheres apresentam sintomas.

De acordo com o grau de expansão, os seguintes tipos de doença são diferenciados:

  • 1 grau- o tamanho das veias em diâmetro não é superior a 5 mm, elas têm um curso convoluto;
  • 2 graus- o diâmetro é de 6 a 10 mm, as varizes estão presentes totalmente ou afetam apenas o plexo dos ovários, miométrio ou paramétrio;
  • 3 graus- o tamanho do diâmetro dos vasos é superior a 10 mm.

Sinais

Os sintomas das veias varicosas da pelve pequena são diversos e frequentemente se assemelham às manifestações de lesões em órgãos próximos. A doença geralmente prossegue com o domínio de sinais de uma certa forma.

Varizes vulvares

Os principais sintomas desta forma da doença incluem os seguintes:

  1. Dilatação venosa.A principal manifestação desta forma é uma expansão notável das veias na vulva ou períneo. A própria paciente pode vê-los. Esta doença é acompanhada por uma sensação de coceira na vulva, peso e dores agudas nesta área. O médico pode detectar um inchaço dos lábios, um aumento das veias nesta área. Muitas vezes, o processo é acompanhado por hemorróidas.
  2. Sangramento.Esta forma da doença pode ser acompanhada por sangramento pós-traumático ou súbito. Uma vez que a parede venosa se torna muito fina, é muito problemático interromper esse processo, mesmo com métodos cirúrgicos.
  3. Tromboflebite.Uma complicação dessas veias varicosas é a tromboflebite aguda das veias do períneo. Este processo é acompanhado por fortes dores, vermelhidão e inchaço da pele. As veias da área afetada ficam tensas e doloridas. Também pode ocorrer inflamação, o que provoca aumento da temperatura e sintomas de intoxicação.

Congestão venosa

Este tipo de patologia é caracterizado pelas seguintes manifestações:

  1. Sensações dolorosas.Eles estão presentes o tempo todo, são sentidos na parte inferior do abdômen e têm vários graus de gravidade. A dor pode ser puxada ou surda. Às vezes, há um desconforto doloroso. Muitas vezes, ele dá para a região lombar, sacro, virilha e períneo. Uma característica distintiva da dor é seu aumento após uma longa permanência na posição imóvel. Exercícios e levantamento de peso também aumentam o desconforto.
  2. Desconforto durante ou após o sexo.Este sintoma leva ao vaginismo e fobias. Freqüentemente, as mulheres enfrentam alta sensibilidade do epitélio perineal e da mucosa vaginal.
  3. Síndrome pré-menstrual.Uma manifestação característica desta forma da doença é o aumento da dor na segunda fase do ciclo menstrual. Além disso, as mulheres enfrentam períodos dolorosos, seu ciclo pode ser interrompido.
  4. Violação da micção.Às vezes, há problemas com a micção, que são causados ​​por congestão venosa da bexiga.

Com uma mudança no estilo de vida normal, o aparecimento de problemas no sexo e a deterioração do estado psicoemocional, surgem estados depressivos e neuroses.

Diagnóstico

diagnóstico de veias varicosas da pelve pequena

A ultrassonografia Doppler é o principal procedimento diagnóstico que ajuda a identificar as veias varicosas na pelve pequena. Esse procedimento possibilita a visualização dos vasos sanguíneos por meio do ultrassom. Além disso, o procedimento ajuda a identificar uma diminuição na taxa de fluxo sanguíneo e sintomas de disfunção das válvulas venosas.

Além disso, o diagnóstico de varizes pélvicas inclui a flebografia transuterina. Este exame das veias envolve preenchê-las com contraste que pode ser facilmente visto em um raio-x. Como resultado, é possível obter toda uma série de imagens de vasos sanguíneos. Neles você pode ver as veias varicosas, áreas trombóticas, colaterais. O médico também pode avaliar o estado das válvulas. No entanto, durante a gravidez e intolerância ao iodo, essa técnica não é usada.

Em mulheres com suspeita de veias varicosas na pelve pequena, a laparoscopia é realizada. Para isso, é feita uma pequena punção na parede abdominal por onde é inserido o endoscópio. Com este instrumento, a cavidade pélvica é examinada.

No entanto, o procedimento mais informativo é a ovaricografia. Este termo é entendido como um exame de raio-x das veias dos ovários com um agente de contraste.

A tomografia computadorizada é realizada para diferenciar a patologia de outras lesões pélvicas. É importante distinguir as veias varicosas na pelve pequena da endometriose, inflamação da bexiga. Além disso, o diagnóstico diferencial é realizado com anormalidades como prolapso do útero, ciática, lesões inflamatórias do intestino grosso.

Métodos de tratamento

O tratamento das veias varicosas da pelve pequena deve ser abrangente. Inclui orientações gerais, terapia medicamentosa e cirúrgica.

Recomendações gerais

A base do tratamento é a adesão a um regime especial e normas de nutrição adequada. Em primeiro lugar, é importante resolver a questão das condições de trabalho.

O funcionário deve ser transferido para as atividades que excluem levantamento de peso e atividade física significativa.

Se você precisar ficar sentado ou em pé por muito tempo, faça pequenos intervalos a cada meia hora. Neste momento, você precisa andar, agachar, levantar os joelhos bem alto. Os mesmos princípios devem ser seguidos após o trabalho.

correção da nutrição para pequenas varizes pélvicas

A correção de energia também é importante.

É importante parar de consumir gorduras refratárias, marinadas, temperos e alimentos picantes. Bebidas alcoólicas e picles também são proibidas. O menu deve incluir uma grande quantidade de frutas e vegetais, cereais e óleos vegetais.

Pessoas com varizes pélvicas devem usar roupas de compressão. Com sua ajuda, é possível restaurar a circulação sanguínea nos vasos e lidar com a congestão venosa. Além disso, a ginástica é muito importante para as varizes pélvicas. Para fazer isso, você deve realizar exercícios como tesoura, bétula, bicicleta. Também é útil fazer os seguintes movimentos:

  • Ande pela sala nos calcanhares e nos dedos dos pés, com os joelhos altos;
  • Deite-se de costas, estique as pernas, dobre-as na altura dos joelhos e puxe-as contra o peito;
  • Deite-se de bruços e levante alternadamente cada perna;
  • Deite-se de costas, levante as pernas retas, dobre-as na altura dos joelhos e endireite-as novamente.

Para prevenir a recorrência da patologia, você precisa praticar natação, corrida, ciclismo

Chuveiros de contraste são muito úteis. É especialmente importante prestar atenção à parte inferior do abdômen, períneo e parte interna das coxas.

Terapia medicamentosa

O tratamento das veias varicosas na pelve pequena com medicamentos é realizado em ciclos.

Na maioria das vezes, os médicos prescrevem as seguintes categorias de medicamentos:

  1. Fleboprotetores- lidam com a inflamação, têm um efeito antidestrutivo, reduzem a permeabilidade vascular e normalizam o fluxo linfático.
  2. Flebotônicos- ajuda a restaurar o tônus ​​e aumenta a elasticidade das paredes dos vasos sanguíneos, melhora as propriedades reológicas do sangue.
  3. Agentes antiplaquetários- são a prevenção de coágulos sanguíneos.
  4. Antiinflamatórios não esteróides- ajuda a lidar com a dor e a inflamação.
  5. Antioxidantes e protetores de membrana- ajudam a evitar a oxidação, eliminam radicais livres e mantêm a função normal das membranas celulares. Isso inclui vitaminas C e E.
  6. Enterosorbentes- levam à ligação de toxinas no intestino.

Tratamento Cirúrgico

O tratamento cirúrgico das varizes pélvicas é realizado de acordo com indicações estritas. Isso inclui o seguinte:

  • Falha do tratamento conservador;
  • O terceiro grau de patologia;
  • Dificuldade em aliviar a dor.

Vários tipos de operações são realizadas hoje. Tudo depende da localização da patologia.

Os principais métodos de intervenção cirúrgica incluem o seguinte:

  • Ligadura da veia ovariana - realizada através da região retroperitoneal ou por laparoscopia;
  • Esclerobliteração das veias ovarianas sob controle angiográfico - neste caso, uma substância esclerosante é injetada no lúmen da veia;
  • Ressecção da veia ovariana - implica sua remoção parcial;
  • Coagulação por laser ou radiofrequência;
  • Clipagem laparoscópica das veias ovarianas;
  • Flebectomia - realizada quando a vulva e a região perineal são afetadas;
  • Cruzectomia - envolve a ligadura da veia safena grossa, bem como de suas tributárias.

Receitas populares

Além dos métodos tradicionais, as varizes da pelve pequena são tratadas com remédios populares.

Algumas das receitas mais eficazes incluem:

  1. A tintura de castanha da Índia, quando administrada por via oral, tem efeito analgésico e venotônico.
  2. A hirudoterapia lida com sucesso com congestão e edema. Isso ajudará a aliviar o estresse no coração e a obter um efeito tônico.
  3. A tintura de raiz de dente-de-leão tem propriedades venotônicas e ajuda a eliminar os sintomas das veias varicosas.

Possíveis consequências

Varizes detectadas em tempo oportuno na pequena pelve em mulheres podem ser corrigidas com medicamentos. No entanto, diagnosticar a patologia pode ser muito problemático. Como resultado, existe uma ameaça de mudanças irreversíveis:

complicações das veias varicosas da pelve pequena
  1. As varizes pélvicas continuam progredindo. Como resultado, os órgãos reprodutivos, períneo e pernas estão envolvidos no processo anormal.
  2. Desenvolvimento de disfunção genital persistente. Isso pode causar infertilidade ou aborto espontâneo.
  3. Sensações dolorosas constantes levam a distúrbios psicoemocionais, como neurastenia.
  4. O desconforto crônico que se acumula durante o sexo pode fazer com que uma pessoa se recuse inteiramente a fazer sexo.
  5. As complicações mais raras e graves são a trombose venosa e a embolia pulmonar. Essas complicações são observadas em apenas 5% dos casos, mas representam uma ameaça à vida.

Prevenção

Para evitar as veias varicosas da pelve pequena nas mulheres, você precisa seguir as seguintes recomendações:

  1. Normalizar as condições de trabalho, excluindo ficar em pé ou sentado por muito tempo.
  2. Evite levantar objetos pesados ​​e recusar atividades físicas difíceis.
  3. Normalize as fezes, alivie a constipação. O menu deve conter uma grande quantidade de óleo vegetal e fibras. É importante desistir de alimentos picantes, picles, álcool.
  4. Tome banho de contraste todos os dias, com atenção especial para a região perineal.
  5. Faça exercícios com as pernas levantadas.
  6. Use roupas de compressão.
  7. Faça exercícios respiratórios.
  8. Tome venotônicos para fins profiláticos. Esses cursos são realizados de 3 a 4 vezes por ano.

As varizes pélvicas são uma anomalia bastante grave que pode levar a consequências negativas para a saúde. Para evitar isso, é muito importante consultar imediatamente um médico e seguir claramente todas as suas recomendações.

03.11.2020